Como Salvar seu Casamento Sendo uma Espécie de Estrela Pornô

0
3213

Confira a carta que uma mulher que estava prestes a perder seu casamento escreveu com suas dicas para tentar salvá-lo ao mudar completamente a maneira como ela enxergava e fazia sexo com seu parceiro diariamente – além do surpreendente desfecho da história. Não deixe ser tarde demais para mudar!

Acho que eu estava no estágio 3 das 5 fases do luto – negociação -, mas no momento eu pensei que era uma maneira infalível para evitar o divórcio. Eu já tinha passado pelo estágio 1, que era a negação completa do assunto por muito tempo.

A segunda fase – raiva – bem, isso chegou a um ponto de ebulição quando eu o confrontei no estacionamento do escritório.

Definitivamente, na fase de negociação eu perguntei-me todas as perguntas que uma mulher na minha posição faria: ela é mais bonita do que eu? Mais nova? Será que ela ri de suas piadas? Será que ela limpa a escova de dentes elétrica após cada uso?

Então tudo ficou claro… Sexo.

Tem que ser o sexo. Essa é a coisa mais importante para um homem, certo? Alguém deve ter entrado em cena quando nosso relacionamento esfriou. Comecei a fazer uma retrospectiva na minha cabeça, contando nos dedos quantas vezes eu tinha oferecido prazer sexual ao meu marido. Quantas vezes eu disse que eu estava muito cansada? O que mudou quando o bebê veio?

Os números foram decepcionantes, e quando eu tinha oferecido sexo, não foi nada de espetacular. Como eu poderia deixar alguma outra mulher mostrar como se faz ao meu próprio marido? Como eu poderia ter deixado alguma outra candidata entrar e tentar tomar o meu lugar? Tecnicamente, eu não tinha nenhuma prova que consumou a sua relação; na verdade, logisticamente não parecia possível – mas ela foi, pelo menos, oferecendo algo que ele queria que eu não tinha. Eu percebi que a resposta estava bem na minha frente. Eu poderia tornar-me o que ele precisava.

Eu me senti como uma guerreira, disposta a salvar o meu casamento. Existem aquelas pessoas que deixam seu casamento tornar-se um clichê e uma estatística, mas eu não sou assim e então lá fui eu, alguém que tinha um plano para o sucesso. Eu ganhei forças, fiquei determinada e planejava fazer tudo certo – não poderia haver erros dessa fez, eu tinha que ser o objeto perfeito do apetite sexual dele. Eu tinha que levar isso a sério, como se fosse um trabalho. Eu tinha que me transformar na sua estrela pornô.

O tempo era a essência. Ele estava passando uns dias na casa do amigo dele, ele ia sair e, provavelmente, aparecer em breve. Eu tinha que agir rápido.

Passo 1: Corpo

Primeiro eu tive que fechar a boca, imediatamente. Com o passar dos anos você vai se descuidando do corpo, ainda mais depois de ter filho. Estrelas pornô têm um corpo sempre em forma e enormes seios falsos. Pelo menos é o que eu me lembro dos últimos vídeos pornôs que assisti, e olha que faz tempo. Eu não podia fazer nenhuma cirurgia, mas eu poderia, pelo menos, emagrecer.

Em seguida, depilação a cera completa, tanto na frente quanto atrás. Nunca senti tanta dor na vida. Estou certa disso, nenhuma mulher sofre um processo de depilação mais doloroso do que esse.

Passo 2: Roupas e acessórios

Meus pijamas de vovó que eram muito confortáveis provavelmente não traziam nada de excitante. Os sutiãs velhos precisavam ser queimados. Eu precisava me livrar de tudo que era confortável, velho e sem graça que eu tinha no guarda-roupa e adquirir coisas mais excitantes.

Havia uma sex shop que eu sempre passava no caminho de casa. Resolvi levar o bebê junto, pois não tinha com quem deixar, mentalmente me desculpei com a criança me justificando que isso era para o bem da nossa família. Antes de entrar na loja eu hesitei ao ver uma mensagem advertindo a entrada de menores de 18 anos. Olhei para o bebê e pensei se ele estaria me julgando ou se alguém da loja me reprovaria com olhares de censura, mas eu precisava de objetos comestíveis, brinquedos, chicotes e algemas.

Mas eu me senti constrangida e acabei numa loja de um shopping na seção de lingerie com peças sofisticadas o suficiente, isso serviria, itens adultos e novidades teriam que esperar.

Passo 3: Colocar em prática

Toda vez que eu o vi, eu ataquei. Ele ficou confuso no início, mas acabou cedendo a tanta provocação. Após os primeiros dias, além do já esperado ‘O que deu em você?’, ele não falou muito sobre a minha mudança. As noites que ele dormia em casa e eu fiz tudo que eu podia, tudo o que a pornografia na internet tinha me mostrado.

Eu era uma máquina. Minha raiva e determinação alimentavam cada movimento. Quando eu acordava com o brilho do seu telefone no meio da noite, o som familiar de alguém mandando mensagem, provavelmente para a destruidora de lares em segredo, eu ligava o “modo estrela pornô” novamente. Eu o surpreendia no almoço e onde fosse possível. Quando ele comentou por que os pratos não tinham sido lavados por uma semana, eu me coloquei em frente da máquina de lavar louça vazia e fizemos sexo de novo.

Eu transei mais vezes em um mês do em três anos de casamento. Havia posições que eu não deveria ter tentado, dada a minha falta de flexibilidade e facilidade para adquirir vertigem. Havia frases usadas no calor da “paixão” que foram tão banais, tão estranhas para mim, mas eu tive que ser forte para não soar falso ou forçado. Eu tinha muito sono e me sentia cansada no meu trabalho durante o dia, o meu novo trabalho no quarto, além de cuidar do bebê. Foi extenuante e desagradável para mim, mas eu estava vencendo.

Ele começou a ficar em casa todas as noites. Ele estava almoçando comigo em vez de almoçar com ela. Eu combati a dor e a sensação de que estava sendo usada sexualmente para pensar no bem maior. Eu me sentia totalmente enojada comigo mesma, com ele, com as próprias paredes do nosso apartamento. Então foi a minha rotina de fuçar o celular dele que acabou oficialmente com a minha carreira pornô em casa.

Lendo as últimas mensagens trocadas eu tinha a certeza de que veria a confirmação da minha conquista, mas não havia nenhum “eu cometi um erro, isso tem que acabar. Eu amo minha esposa e eu quero manter a nossa família unida.” Não houve “você nunca poderia fazer por mim o que ela faz.”

Em vez disso, diante dos meus olhos estavam centenas de textos de flerte, dezenas de histórias sendo compartilhadas. Pensamentos profundos e segredos íntimos que foram trocados. Não houve “Ah, me desculpe, eu ainda estou dormindo com minha esposa” nem nada do tipo. O que eu via eram apenas frases dizendo: ‘”Você é tão incrível. Conte-me mais sobre você.” Ele disse a ela as mesmas histórias que ele tinha dito para me cortejar quando nos conhecemos. Contou a história que o fez parecer aventureiro. Outra história que o fez parecer sensível. E ele estava tão encantado em saber tudo sobre ela…

Me senti como uma idiota, coloquei o bebê no carro e partimos para devolver as lingeries que ainda tinham as etiquetas. Eu era tão inteligente e confiante, por que eu fui fazer isso?

Eu me repreendia por ter sido tão ridícula. No final, tudo o que eu estava fazendo era uma busca inútil de salvar nosso casamento, ser a mulher desejável que ele sempre quis, dando o presente de despedida que ele nunca mereceu.

Eu não ganhei nada, pois nunca houve uma competição nem um prêmio, mas na minha tristeza eu não conseguia ver isso. Eu aprendi da maneira mais difícil que quase nunca se trata de sexo. Eu tinha desesperadamente perdido minha dignidade em troca da chance de salvar um mau casamento. Daquele ponto em diante, se eu estava inclinada a canalizar minha estrela pornô interior, gostaria de fazer por alguém digno, mas acima de tudo, gostaria de fazer por mim mesma.

banner-pub_erotica-sexshop-quentes-e-carentes